Resenha: Simplesmente o Paraíso - Quarteto Smythe-Smith #1 Resenha: Uma Lição de Vida Resenha: Era uma Vez no Outono Resenha: Secrets and Lies
0

Dexter é Delicioso: Assassinato ou stand up comedy?


Autor: Jeff Lindsay 
Editora: Orion Books Limited 
Editora no Brasil: Planeta 
Ano: 2010 
Páginas: 352
Sinopse: A vida organizada de Dexter Morgan é desestabilizada pela chegada de sua primeira filha. Pela primeira vez ele sente que tem força suficiente para sufocar os desejos de seu Passageiro Sombrio, a voz que sempre sussurra dentro de sua cabeça, escolhendo novas vítimas e guiando Dexter em suas empreitadas perigosas. Ao mesmo tempo, ele é convocado para investigar o desaparecimento de uma menina de 17 anos, Samantha Aldovar, que faz parte de um grupo gótico em que os indivíduos se declaram vampiros. Conforme chega mais perto da verdade, com a ajuda de sua irmã Deborah, ele percebe que está lidando com algo muito mais sombrio do que um simples clube de adolescentes fãs de Crepúsculo... Os raptores de Samantha querem muito mais do que sangue… e estão especialmente interessados em Dexter.

Fã assídua da série televisiva “Dexter”, não era de hoje que eu tinha curiosidade de ler os livros que serviram como base para a produção. No meu aniversário desse ano, ganhei de presente da Adla o quinto volume da série de Dexter, e apesar da demora, finalmente pude dar meu veredicto sobre o exemplar.

Apesar de não ter lido os livros anteriores da série de livros, eu já conhecia os personagens por causa da série de TV. Alguns têm nomes um pouco diferentes, como é o caso da irmã de Dexter, Debra, que no livro se chama Deborah, e de seu colega de laboratório, Vince Masuka, que no livro é Vince Masouka, mas o histórico e a personalidade dos personagens é semelhante, portanto não tive problemas em compreender nada. Contudo isso foi meu caso, que já conhecia a história, caso se interesse pela série, sugiro que leia os anteriores, ou no mínimo assista uma ou duas temporadas da série antes de vir ler este livro.

O motivo maior de eu fazer essa recomendação é que em Dexter é Delicioso, Dexter acaba de ter sua primeira filha, e isso o afeta de tal modo que ele desiste de ser um assassino, para ser um bom pai para Lily Anne. Ou seja, para que você compreenda melhor essa transição do Dexter, espera-se que você o conheça como ele é antes dessa mudança: egoísta, dissimulado e perigoso.


O grande problema do livro é que essa desistência de Dexter à sua vida sombria e sua insistência em despertar seu lado “humano”, tornam o livro qualquer coisa, menos uma história de serial killer. Na verdade Dexter é Delicioso é definitivamente um romance policial, e a irmã de Dexter, Deborah, que também é sargento, rouba toda a cena, tornando Dexter o personagem secundário fanfarrão.



Apesar disso, o livro não é chato, o humor de Dexter e a boca suja de Deborah tornam a empreitada em busca da gangue de vampiros canibais que está cometendo assassinatos em Miami divertidíssima e nada cansativa. Mas como fã de Dexter, senti falta do “Passageiro Sombrio” (nome que Dexter dá ao seus instinto assassino) e acima de tudo senti falta da atmosfera de perigo, algo que até no clímax do livro, fez falta. Dexter, que geralmante controla a situação, estava vulnerável demais e pouco atuante. Acredito que os livros retratem melhor Dexter como assassino, mas em “Dexter é delicioso” ele é constantemente a vítima e secundário, especialmente diante Deborah.

Deborah é, sem dúvidas, a personagem que faz o livro valer a pena, não só pelo seu jeito determinado e teimoso, como também pela sua grosseria e palavrões, que a tornam extremamente engraçada em sua brutalidade.


Quanto ao exemplar, encontrei muitos erros de digitação, ortografia e até tradução no volume, algo que me incomodou bastante, não são frequentes em todo o livro, mas da metade para o final, é comum encontrar vários errinhos na edição do volume. Não é um livro longo e os personagens são muito simpáticos, é uma leitura tranquila, e quem não curte serial killers pode se divertir com o humor maravilhoso dos personagens. Já quem espera ver Dexter na ativa, sugiro começar pelo primeiro volume da série, “Dexter: A mão esquerda de Deus” ou assistir o seriado, que é excelente.

O livro e a série são bem fiéis aos personagens, mas diferem em alguns casos policiais e alguns pequenos pontos, algo que considero positivo, já que tanto a série quanto os livros ganham pontos inéditos e não enjoa os fãs.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...