Resenha: Simplesmente o Paraíso - Quarteto Smythe-Smith #1 Resenha: Uma Lição de Vida Resenha: Era uma Vez no Outono Resenha: Secrets and Lies
12

Polêmica: os "nativos digitais" e as Novas tecnologias



Uma ideia muito disseminada, até mesmo entre os professores e pesquisadores da Educação é que a geração atual, dos que nasceram e cresceram na Era da Informação são “nativos digitais” e, portanto, dominam tudo de Informática, sabendo usar as TICs (Tecnologias de Informação e Comunicação: celulares, tablets, computadores etc) melhores que seus pais e professores. O que será que há de verdade e mito nessa afirmação? Vamos conferir.


A ideia que os jovens desse século já nascem com uma noção básica de Informática é tentadora quando se vê uma criança de 3 ou 4 anos mexendo em um tablet ou smartphone, afinal os pequenos parecem ter tanta familiaridade com o equipamento e são tão novos que é fácil pensar que já nasceram “programadas” para usar o aparelho. Apesar de ser amplamente aceita, essa teoria tem alguns furos e problemas que vou enumerar e discutir.

Primeiro, o computador pessoal como conhecemos hoje surgiu há cerca de 30 anos e só se popularizou há pouco mais de 20. E a evolução do cérebro humano, e consequentemente da capacidade de aprendizado é uma coisa muito lenta, e para uma mudança dessas acontecer, seriam necessários séculos de adaptação. Por este motivo, enfrentamos algumas dificuldades porque nosso cérebro foi “programado” para resolver problemas de nossos ancestrais: nas palavras de Wallisen Tadashi Hattori e Maria Emília Yamamoto, doutores em Psicobiologia e coautores do artigo “Evolução do comportamento humano: Psicologia evolucionista, disponível em:

http://www.academia.edu/2384346/Evolu%C3%A7%C3%A3o_do_comportamento_humano_Psicologia_evolucionista

a PE (Psicologia Evolutiva) entende que os mecanismos psicológicos evoluídos, adaptações subjacentes ao comportamento e desenhadas pela seleção natural, foram selecionados por resolver problemas adaptativos enfrentados por nossos ancestrais ...

Além disso, se o uso de computadores fosse realmente uma coisa inata na geração atual, todos os jovens e adolescentes já nasceriam com habilidades instrumentai inatas para usarem as TICs, e não haveria ninguém que não conseguisse usar um aparelho tecnológico. O que não acontece, conforme o estudo elaborado pela Fundação Telefônica, em parceria com a Fundação Getúlio Vargas e a operadora de telefonia Vivo que concluiu que mais de 64% dos brasileiros não sabem ou não querem usar a internet.

Segundo essa pesquisa, "Ter o computador em casa não significa que ele está sendo usado. É indicativo, mas não é suficiente. Ter dinheiro também não é tão importante como se imagina. Educação é o fator determinante", e grande parte da população estudada na pesquisa foi de crianças e jovens, conforme pode ser verificado no link


O que acontece, as crianças imitam os adultos e quando uma criança vê seu pai mexendo em um tablet, smartphone ou computador ele presta atenção e na hora que tem a oportunidade de pegar o aparelho, ele repete o que viu o pai fazendo, uma experiência fácil de demonstrar isso é entregar um smartphone a uma criança que nunca teve contato com um, ela não saberá o que fazer com ele.

Aí você pode pensar, tudo bem as crianças precisam aprender o básico para entrar na Internet, uma vez lá dentro elas conseguem se virar e fazer tudo.

Não é o que diz a “Pesquisa sobre o uso da Internet por crianças e adolescentes no Brasil - TIC Kids Online Brasil 2014”. Essa é uma pesquisa séria, realizada pelo Comitê Gestor da Internet no Brasil, com crianças e jovens de 9 a 17 anos de todas as classes sociais e regiões. Os dados são assustadores:

Fonte:http://www.cgi.br/media/docs/publicacoes/2/TIC_Kids_2014_livro_eletronico.pdf

Apenas 64% dos entrevistados sabem bloquear uma pessoa que as importuna em uma rede social; somente 58% conseguem encontrar informações sobre como usar a Internet com segurança; 58% sabem marcar um site ou adicionar como favorito. Essa é a geração que sabe utilizar a internet desde o berço? Quase a metade não consegue fazer um comando simples com duas teclas (ctrl + D) para adicionar um site como o favorito!

E a coisa piora: apenas 56% tem habilidade para Mudar as configurações de privacidade no perfil de rede social, ou seja, 44% dos jovens de 9 a 17 anos deixam todas suas fotos e postagens visíveis para o público geral; só 50% consegue deletar o histórico de sites que visitou e apenas 46% sabe bloquear propaganda indesejada ou lixo eletrônico/spams.

E esses são os dados gerais, se colocarmos por Classe Social, veremos que nas classes D e E a coisa é muito pior (embora eles também sejam “nativos digitais”). A pesquisa mostra muitas outras informações alarmantes que demonstram que essa geração passa o dia na internet de forma insegura, ingênua e com imperícia. Ou seja, de especialistas mesmo são poucos, os que tiveram mais estudo e orientação da família.

12 comentários:

  1. Na verdade, isso até assusta porque vivemos em uma era de total hiperconectividade. Os resultados dessa pesquisa demonstram que, realmente, o acesso vibrante e febril de quase toda a sociedade às tecnologias ora vigentes não significa uma adaptação de verdade a esse fenômeno. A meu ver, é mais um simbolismo de status ostentar uma inexistente seguridade no domínio da navegação cibernética.

    ResponderExcluir
  2. Essa coisa de "é inato" me irrita. É inato ao ser humano aprender com os estímulos que lhe são proporcionados. Fora isso... Tud é aprendido.

    Não me assusto com uma criança saber mexer nad redes sociais, nós sabíamos fazer miséria com o Super Mario no videogame! Elas só mudaram o brinquedo.

    Cabe aos pais limitar o tempo de acesso dos filhos à internet, da mesma forma que antigamente limitavam o acesso ao videogame.

    Mas como limitar o seu filho se você não sai do celular? Eis a questão.

    ResponderExcluir
  3. Olá Alessandro, tudo bem?
    Eu gostei muito do seu post e da maneira como você abordou o assunto.
    Vivemos realmente numa era tecnológica, onde muitos dos nossos melhores valores estão se perdendo.
    Eu concordo plenamente que nem tudo é inato ao ser humano e no caso do uso de tecnologia, com certeza muito do que as crianças fazem é assimilado através do convívio com seus pais e adultos em geral.
    Ótimo post que nos faz pensar.
    Abraço.
    Lia Christo
    www.docesletras.com.br

    ResponderExcluir
  4. Oi
    gostei do poste, hoje a tecnologia é muito presente hoje em dia, mas mesmo assim muitos não utilizam e quando utilizam muitas vezes é sem cuidado, crianças aprende usar essas tecnologias porque muitos pais as vezes ficam o tempo inteiro no celular mexendo ao lado da criança, como já vi acontecer com pessoas que conheço.

    momentocrivelli.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  5. Olá, que post interessante. É legal discutir assuntos desse tipo, eles parecem não ter tanta importância para muitas pessoas, e é ai que mora o perigo. Hoje em dia tudo gira em torno da tecnologia e as pessoas são cada vez mais dependentes dos aparelhos eletrônicos. Acho tão incomum uma criança que mal sabe falar já ter um tablet disponível para o seu entretenimento, para mim isso é um absurdo. Vemos muito essa dependência quando somos privados de alguns sistemas, como nos últimos dias com o bloqueio do 'WhatsApp', teve gente se descabelando...e eu aqui vibrando pois ia me ver livre das apitações constantes por um dia...kkkkkk
    Tem gente que faz disso a vida e esquece de viver de verdade.

    Abraços

    ResponderExcluir
  6. Oi, tudo bem?

    Nenhum dos dados me assusta ou surpreende. Um país de analfabetos funcionais só pode produzir analfabetos digitais funcionais. Foi isso que a pesquisa mostrou com números e estatísticas.

    Bel Góes

    ResponderExcluir
  7. Olá!
    Muito bacana e interessante seu post!! Mas apesar de provarem que realmente não nascemos com essa capacidade, acredito que a tecnologia vem tomando muito da nossa vida, as crianças não brincam mais pq tem um tablet e os adultos não se comunicam pessoalmente pq existe o whatss. Apesar da tecnologia ter sido criada para um bem maior, às vezes me pergunto se ela tem cumprido 100% do seu papel ou se desviou no caminho.

    Beijokas

    ResponderExcluir
  8. Olá... super bacana esse texto e eu concordo com você plenamente. A minha filha tem 12 anos... ela sabe mexer em algumas funcionalidades do meu celular que eu não tinha ideia que existiam, mas daí ela demanda mais tempo que eu para fazer isso, mas no computador, ela é completamente perdida... falo para ela copiar e colar e ela pede pra ensiná-la como se faz de maneira mais rápida... assim como colocar links nos favoritos e os bloqueios necessários... eles podem ter fácil entendimento, mas não nasceram "programados" eles são espertos e conseguem fazer coisas além, mas precisam da base para seguir em frente... isso tudo que eu falo é um exemplo que tenho dentro de casa... adorei o que li aqui... Xero!

    ResponderExcluir
  9. Nossa, fiquei impressionada com esses dados! Mas olha, tive um choque também quando trabalhei como monitora em uma colônia de férias com crianças de 3 a 7 anos. Várias dessas crianças já tinham seus celulares e sabiam usá-los muito bem, apesar de eu ter ficado indignada e não ter parado de me perguntar porque tinham dado um celular para uma criança daquela idade. Tinha sim, a impressão de que eram meio que nativos digitais, mas depois dos seus argumentos mudei de ideia. Alarmante isso de um número tão grande de pessoas não saber bloquear alguém ou mudar a privacidade de uma postagem!

    ResponderExcluir
  10. Oi Alessandro!
    Muito bom seu post! Também serve de alerta para os pais, pois muitos jovens compartilham fotos intimas na internet, sem ter noção de como elas podem se alastrar rapidamente pela rede...

    Beijos,
    Sora - Meu Jardim de Livros

    ResponderExcluir
  11. Post alarmante e muito intrigante, concordo plenamente dito nos comentários acima "num país de analfabetos funcionais só pode gerar analfabeto digitais funcionais".

    www.sramaia.blogspot.com

    ResponderExcluir
  12. Opa adoro sair um pouco da área de conforto, gostei da postagem! Eu acredito que as crianças tendem realmente imitar os pais, por exemplo meu filho ama computador e celular, eu sou Blogueira e meu marido programador, então ele se baseia pelo exemplo. Claro que ele sabe ás vezes coisas à mais que eu, bem isso também é fácil, visto que ele não tem limites para descobrir as coisas, ele vai clicando sem medo e assim acaba por se familiarizar com esse mundo. Outra coisa é que crianças são esponjinhas, tudo que eles aprendem de cedo é absorvido, porém isso já não acontece com adultos por n motivos, um deles é mente estressada e cansada.

    Adorei a postagem muito inteligente e bem escrita, parabéns!!

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...