Resenha: Simplesmente o Paraíso - Quarteto Smythe-Smith #1 Resenha: Uma Lição de Vida Resenha: Era uma Vez no Outono Resenha: Secrets and Lies
7

Análise da Musica “Fala aqui com a minha mão”


Composta por Dyeguinho Silva e Kinho Chefão, essa música é um dos grandes sucessos do cantor Wesley Safadão, que anda tocando nas rádios de todo o Brasil. O problema é que muita gente, e mulheres incluindo, cantam numa boa sem prestarem atenção na letra e acabam assim por naturalizar um dos grandes problemas femininos que envergonham o nosso país.


Bebi se duvidar eu bebo de novo
Eu tô achando que bebi foi pouco
Então não venha me amolar
Observe que alguém reclamou que o eu lírico andou bebendo muito e ele reagiu de forma agressiva. Geralmente, isso acontece quando uma pessoa bebe demais mesmo, afinal quem não tem problemas com alcoolismo não se revolta quando falam que está bebendo muito.
Curti se duvidar eu curto de novo
Só pra você parar de besteira
Só pra você parar de falar
O eu lírico continua brigando com seu interlocutor, além da agressividade é perceptível que ele não se importa com os conselhos recebidos, como se não desse importância para a opinião do interlocutor.
Eu tô numa relação
E não em uma prisão
Eu faço o que eu quero
Eu tenho o direito de me divertir
Aqui descobrimos com quem ele está brigando, e vejam só é alguém que mantém uma relação: namorada, esposa ou companheira! Dessa forma, não é uma pessoa intrometida que está se metendo onde não deve mas de uma pessoa interessada.

É evidente que uma relação não é prisão e que todos tem o direito à diversão, mas quando se está em relação é obrigação de ambos ouvir e respeitar a opinião do(a) parceiro(a), principalmente em relação ao álcool que é uma droga, lícita mas que traz problemas para a vida familiar como se fosse uma ilícita.
Eu tô numa relação
E não em uma prisão
Se quiser brigar
Pode se estressar
Não vou discutir

Aqui as coisas começam a desandar, não dá pra saber o tom que a parceira na relação está falando com o eu lírico, mas o que fica evidente é que ele está sendo violento, e embora diga que não quer brigar e não vai discutir, na próxima estrofe ele faz uma afirmação polêmica:
Fala aqui com a minha mão
Fala aqui com a minha mão
Que hoje eu tô sem paciência
E não quero discussão (2x)

Fala aqui com a minha mão”!? Isso é uma ameaça de agressão, ele não quer discutir e no lugar de tentar se acalmar ou se afastar pra evitar a discussão, ele diz que vai bater na parceira pra fazer ela parar de reclamar que ele bebe muito e sai sem ela!

O que muito me admira é que essa música fala abertamente em uma violência gratuita tão repudiada socialmente e ninguém se importa, não vejo nenhuma campanha de boicote ou contra a música e pior, muitas pessoas ouvem, cantam e compram CDs ou shows com essa música numa boa.

7 comentários:

  1. Olá, Alessandro.
    Em alguma de suas reflexões sobre a música eu concordo e em outras não. Juro pra você que nunca ouvi essa música, pelo menos que eu me lembre! hahaha

    ResponderExcluir
  2. Oi,
    Para ser sincera eu nunca escutei essa música, e se não fosse por essa sua reflexão seria mais uma letra horrível que passaria despercebido por mim...

    Abr

    ResponderExcluir
  3. Olá!
    Achei muito interessante a forma como você analisou essa música, e concordo com você em inúmeros pontos, porém devo discordar da sua posição final. Mesmo não gostando desse tipo de música, não creio que o refrão se trate de uma questão violenta, pois eu entendo que quando o ele diz "Fala aqui com a minha mão" o eu-lírico está se referindo a um gesto que muitas pessoas fazem quando não querem conversar (tal gesto consiste em abrir e fechar a mão como se a mesma estivesse "falando"). Mesmo que sua interpretação caiba nesse texto, não acredito que seja a intenção do autor passar a mensagem de agressão. Beijos do Wes ^^

    ResponderExcluir
  4. Olá!
    Acho que muitas músicas que encontramos por aí tem essa conotação de agressão e muitos não se importam, pois estão na diversão, sabe? Gosto de ouvir músicas que me acrescentam alguma coisa em minha vida e meio que detesto o Safadão, então, só me resta ter pena das pessoas que ouvem e cultuam isso.
    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Olá... tudo bem???
    Bom eu não conhecia essa música... confesso que não costumo escutar as músicas do cantor... achei interessante a forma como você desenhou a interpretação da música, mas devo confessar que não acho que a ultima estrofe seja referente a uma agressão e sim uma maneira de ignorar a pessoa dizendo para ela falar com a mão e o gesto é abrir e fechar a mão, como se ela tivesse falando literalmente. Xero!

    ResponderExcluir
  6. Felizmente eu nunca ouvi essa música, só do dito cantor ter esse nome eu nunca me interessaria pelas músicas dele. Mas não acho que o "fala aqui com a minha mão" tem esse teor de violência que você interpretou, é uma expressão popular que mostra que o outro está sendo ignorado, mas claro que não deixa de ser uma agressão psicológica à outra pessoa que está no relacionamento.

    ResponderExcluir
  7. Gosto das suas análises musicais, poucas pessoas param para realente prestar atenção às mensagens que uma música pode passar. Eu sempre vejo pessoas comparando casamento/relação com prisão e fico pensando: "poxa, se acha que estar junto é estar peso porque se enfiou numa relação?". É meio hipócrita. Sobre a música ter ou não contexto violento, acho que cabe duas interpretações: a da violência em si e a do gesto esnobe da "mão falando", dando a entender que tá "cagando e andando" para o que o outro está falando. Eu não escuto músicas desde 2007, e nunca nem me interessei pelo dito cantor, mas a letra é francamente problemática, como muitas das canções atuais.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...