Resenha: Simplesmente o Paraíso - Quarteto Smythe-Smith #1 Resenha: Uma Lição de Vida Resenha: Era uma Vez no Outono Resenha: Secrets and Lies
0

Tartarugas Até Lá Embaixo: a incrível volta de John Green


Autor: John Green
Editora: Intrínseca
Ano: 2017
Páginas: 256
Nota: 5/5


Sinopse: Depois de seis anos, milhões de livros vendidos, dois filmes de sucesso e uma legião de fãs apaixonados ao redor do mundo, John Green, autor do inesquecível A culpa é das estrelas, lança o mais pessoal de todos os seus romances: Tartarugas até lá embaixo. A história acompanha a jornada de Aza Holmes, uma menina de 16 anos que sai em busca de um bilionário misteriosamente desaparecido – quem encontrá-lo receberá uma polpuda recompensa em dinheiro – enquanto lida com o transtorno obsessivo-compulsivo (TOC). Repleto de referências da vida do autor – entre elas, a tão marcada paixão pela cultura pop e o TOC, transtorno mental que o afeta desde a infância –, Tartarugas até lá embaixo tem tudo o que fez de John Green um dos mais queridos autores contemporâneos. Um livro incrível, recheado de frases sublinháveis, que fala de amizades duradouras e reencontros inesperados, fan-fics de Star Wars e – por que não? – peculiares répteis neozelandeses.


Finalmente, depois de tanto tempo, o John Green voltou com esse título que pretende ser um grande sucesso, deixando os fãs muito curiosos quanto ao conteúdo do mesmo, já que o próprio título parece ser bem engraçado e, ao mesmo tempo, sem sentido. Assumo que, desde que esse livro foi lançado, não me aquietei até tê-lo em mãos e começar a ler. Ainda bem que a minha ansiedade durou pouco.

O livro conta a história de uma garota chamada Aza Holmes, e a mesma tem Transtorno Obssessivo Compulsivo, o conhecido TOC. Ao mesmo tempo que a protagonista lida com isso, ela se encontra no meio de uma procura por um bilionário que desapareceu misteriosamente, do nada. Detalhe: quem achá-lo vai receber uma recompensa, o que torna essa procura ainda mais interessante.

Mais uma vez, John Green não decepcionou. Mesmo cercado de drama, o livro tem um tom divertido que é caracteístico do estilo de Green. A melhor coisa sobre a sua escrita é que temos sempre a sensação de que estamos dentro da mente da personagem, compartilhando as mesmas sensações, seja elas qual forem. O tema TOC é abordado de uma maneira íntima e intensa, e não é pra menos: o próprio John Green é afetado pelo TOC, e só quem tem sabe na pele como é.

Uma coisa interessante desse livro é que, desde Star Wars à até mesmo citações de clássicos da literatura, temos muitas referências da cultura pop, algo que chama muita atenção em um público que esteja afim de conhecer o autor a partir dessa obra. Mais interessante ainda é quando identificamos a relação do tíulo com a história, o que, honestamente, me fez dar risada.

Se você ainda tinha dúvidas quanto a leitura desse livro, sugiro que leia e se delicie com a escrita leve e profunda de John Green, em um dos seus melhores livros, com toda a certeza.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...